terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

DEUS MENINO



Cada um tem um poema que carrega em seu coração, pelo menos penso que deveria. Lembro do momento que eu abri um jornal, aproximadamente em 1980, não lembro exatamente se era a Folha de São Paulo ou O Estado de São Paulo, mas aquela tarde foi marcante para mim, ao ler este poema. Na época não se falava em internet ou celular, agora este poema está vindo alterado de forma sutil. Eu tomei o cuidado de manter o texto tal como eu o vi no jornal pois foi assim que ficou gravado no meu coração ou mente mais profunda, incluindo o nome do autor que ultimamente pesquisei na internet e não consegui identificar quem é, quem sabe?

DEUS MENINO
Autor: Walney Padilha

Precisa-se de um Homem
que encare a vida de frente
e, sem querer ser super-herói
voe com serenidade nas asas do seu destino.
Precisa-se desse Homem especial e comum
que nunca simule afeição nem trapaceie
com os meus sentimentos,
que saiba me conduzir com doçura,
que saiba me orientar com inteligência
mas que aceite com humildade
os desígnios do meu ser.
Ele deve ser alto – da altura de sua dignidade,
e belo – como a beleza do seu caráter.
Sua ambição deverá ter a medida exata
do alcance de seus dedos – e de seus sonhos.
Precisa-se urgentemente desse Deus-Menino
para pôr festa no meu coração,
atear fogo nos meus braços
e salvar, por fim, do aniquilamento
resgatando nossas vidas
com tributo de um Amor total


Nenhum comentário:

Postar um comentário